A importância da Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional é a área da saúde que estuda e desenvolve prevenções e tratamentos para pessoas que possuem alterações cognitivas e/ou psicomotoras, causadas por acidentes traumáticos, doenças ou distúrbios genéticos. A principal vantagem de obter o tratamento com o profissional é garantir a autonomia e a independência. A reabilitação dos movimentos, a preparação para o retorno às atividades cotidianas e a contribuição para o bem-estar são outros benefícios que revelam a importância da terapia ocupacional.

As atividades comuns do dia a dia são as ferramentas de trabalho do terapeuta ocupacional, que busca melhorar o desempenho funcional dos seus pacientes. “O fato de poder tomar decisões e executar tarefas do cotidiano impacta na qualidade de vida do indivíduo. Nós buscamos ampliar a participação social, minimizar o sofrimento de qualquer ordem e preparar a sociedade para a inclusão”, explica Fátima Beatriz Maia, presidente da Comissão de Educação em Terapia Ocupacional do Crefito-2 (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) e professora auxiliar do curso de graduação em Terapia Ocupacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Outra importante especialidade da terapia ocupacional é a acupuntura. Utilizada como forma de tratamento de doenças e dores através da introdução de agulhas em pontos estratégicos do corpo, ela ajuda no alívio das dores e no relaxamento muscular. Segundo o Ministério da Saúde, o número de procedimentos realizados em todo o país, pelo SUS (Sistema Único de Saúde), teve um crescimento de 429% em cinco anos.

A terapia ocupacional no atendimento home care

O atendimento home care representa um extenso campo de atuação para os terapeutas ocupacionais, que prestam auxílio a todas as faixas etárias. O ambiente familiar ajuda a tranquilizar e evita o deslocamento até o hospital, tornando o acompanhamento mais confortável. As atividades que serão desempenhadas são sempre acordadas junto à família do paciente, com a finalidade de criar conexão entre as partes. Dessa forma, o processo se torna mais humanizado.

As demandas terapêuticas mais solicitadas são voltadas para a reabilitação de comprometimentos físicos, geralmente causados por doenças neurológicas como o AVC, o Parkinson e o Alzeheimer, e o controle de doenças neurológicas, como por exemplo, a Síndrome de Down.

Saúde mental e bem-estar

Atualmente, existe muita discussão em torno da qualidade de vida e da sua relevância para o bem-estar do indivíduo. A campanha Janeiro Branco, por exemplo, foi fundada em 2014 e estimula a reflexão sobre a felicidade cotidiana. Busca colocar a saúde mental em evidência, a fim de combater o adoecimento emocional e tornar o mundo um lugar melhor. De acordo com dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 11 milhões de brasileiros sofrem de depressão, distúrbio causado.

Dentre as inúmeros vantagens da Terapia Ocupacional, uma das mais importantes é a contribuição para uma melhor qualidade de vida e manutenção da saúde mental. Como a especialidade trabalha com a reabilitação, o indivíduo se sente estimulado e mais confiante, favorecendo a sua autoestima.

“A busca pelo bem-estar do paciente e sua reintegração social reflete numa relação terapêutica de comprometimento que traz segurança e confiabilidade. Além disso, conteúdos emocionais são trabalhados em todas as etapas do tratamento, onde o paciente é levado a entrar em contato com estas emoções e estimulado elaborar formas de enfrentar o sofrimento”, destaca Fátima Beatriz.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *