O que é apneia do sono: tipos, sintomas, prevenções e tratamentos

apneia do sono

A apneia do sono é um distúrbio causado por paradas respiratórias durante o sono decorrentes da diminuição no espaço da faringe (conduto muscular do qual entra o ar). De acordo com o Ministério da Saúde, as pessoas que sofrem com apneia do sono muitas vezes levam sustos e dão leves “saltos” enquanto dormem. Ela também pode ser classificada em três tipos: obstrutiva, central e a mista.

Tipos de apneia

Apneia Obstrutiva do Sono (AOS)
É definida por episódios recorrentes de eventos respiratórios constituídos de paradas totais (apneias) ou reduções do fluxo (hipopneias) recorrentes das vias aéreas superiores durante o sono. Quando está associada à sonolência excessiva diurna, ou doença cardiovascular, recebe o nome de Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS). O diagnóstico é feito por meio da poligrafia ou polissonografia (exame do sono) noturna. Dependendo do número de eventos respiratórios por hora do sono, ela pode ser classificada como leve, moderada ou grave.

Apneia Central do Sono (ACS)
A apneia central do sono é definida pela interrupção da respiração com ausência de fluxo e esforço respiratório. Suas principais características são episódios recorrentes de apneia causados por perda repetitiva do drive ventilatório, em vez de obstrução da via aérea superior. Esta interrupção é principalmente em consequência a falta de estímulo independente para respirar.

Apneia Mista do Sono
Por último, a apneia mista é a combinação dos outros dois tipos existentes: a central e a obstrutiva.

Principais sintomas

De acordo com a Associação Brasileira do Sono (ABS), 75% dos brasileiros relatam ter pelo menos uma queixa, sendo as mais comuns: sono leve e insuficiente, ronco e insônia. Mas quais desses sintomas estão realmente ligados a este distúrbio?

Os sintomas mais frequentes da apneia do sono são:

  •  Cansaço;
  •  Sonolência excessiva;
  •  Ronco;
  •  Irritabilidade e problemas de memória.

Depressão, redução da libido e impotência sexual são outras manifestações desse distúrbio. Eles podem levar ao aumento do risco cardiovascular, hipertensão arterial, aumento na incidência de infarto, derrames cerebrais, arritmias cardíacas e também diabetes.

Dicas para a prevenção da apneia do sono

  • Evitar comida pesada antes de dormir
  • Ficar atento às melhores posições de dormir e a altura do travesseiro
  • Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas pela noite. Segundo o otorrino, essas bebidas • tendem a relaxar ainda mais a musculatura e podendo, assim, causar a obstrução da passagem do ar e consequentemente os roncos;
  • Evitar o uso de tabaco

Tratamento

De acordo com o Dr. Drauzio Varella o tratamento é sempre multidisciplinar e pode variar de acordo com a gravidade de cada caso. O primeiro recurso terapêutico é tentar reduzir os fatores agravantes que são:

  • Combater as causas da obstrução nasal e do refluxo gastroesofágico;
  • Perder peso;
  • Dormir de lado;
  • Evitar o uso de bebidas alcoólicas, calmantes, relaxantes musculares e cigarro antes de dormir.

O paciente pode recorrer ainda ao uso de próteses orais que evitam a queda da língua para trás, e aos CPAPs, máscaras especiais que conservam a pressão positiva e contínua sobre as vias aéreas. Há casos ainda em que cirurgias ou cauterizações são necessárias para corrigir os elementos que geram a obstrução.

Vale lembrar que com o avanço da tecnologia, hoje é possível que o paciente faça a chamada poligrafia, exame que permite o enfermo diagnosticar e tratar do distúrbio diretamente de casa, acompanhado remotamente pelo médico.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *